Jornal O Impacto - Guararapes e Região

Alunos ‘criam’ lei em Rubiácea para coleta e descarte de lixo eletrônico

 

Um projeto de alunos da 3ª série da Escola Estadual Coronel Francisco Prudente Corrêa, em Rubiácea, impactou toda a cidade e foi transformado em Lei Municipal, que foi aprovada por unanimidade pela Câmara dos Vereadores e aguarda sanção do Executivo.

Tudo começou quando os estudantes do ensino médio propuseram regras dentro da escola para viabilizar o descarte correto de lixo eletrônico. Nascido a partir do conteúdo desenvolvido em aulas com o tema “Mineração e Resíduos Eletrônicos”, a proposta foi protagonizada e levada a cabo pelos estudantes Ana Paula Pardin Alves, Eduardo Maximiano Brito, Gustavo Bueno Gonçalves, Isabelly Kemilly da Silva e Lívia Aranda de Souza, que encaminharam a sugestão para implantação de um projeto de lei à Câmara Municipal.

“Foi um trabalho desenvolvido com o objetivo de potencializar e incentivar nossos alunos na busca pelos seus sonhos, levando-os a acreditar que são capazes de trilhar seus próprios caminhos, através do seu protagonismo, a capacidade de buscar parcerias para realizar ações coletivas envolvendo a comunidade e colocando em prática atitudes de conservação e preservação do meio ambiente, como cidadãos conscientes”, afirma a professora Paula Roberta de Castro Bonfietti, diretora da unidade de ensino.

Sob a coordenação da professora Leni Martins Cardoso, os estudantes propuseram a instituição de coleta seletiva de resíduo eletrônico (e-lixo) e tecnológicos nas zonas rural e urbana do município, com foco no desenvolvimento sustentável da cidade e a preocupação com o cuidado dos lençóis freáticos da região.

A proposta foi encaminhada pelos alunos ao Legislativo, queC acatou a sugestão de criação de um local adequado para o recolhimento desse tipo de resíduo. “A escola nos deu espaço para que a gente criasse uma proposta que mude a realidade da cidade. Estamos, eu e meus colegas, orgulhosos do que criamos e certos de que inspiramos outros estudantes e moradores da cidade”, comentou Eduardo Maximiano, de 17 anos de idade.



Postagem Anterior Próxima Postagem

ÓTICA OCULAR E ESTILO

Jornal O Impacto - Guararapes e Região

SICOOB

Jornal O Impacto - Guararapes e Região

SUPERMERCADOS JORDÃO

Jornal O Impacto - Guararapes e Região

RIGUETI AUTO PEÇAS

Jornal O Impacto - Guararapes e Região